[Resenha + Filme] Para Sempre

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Olá, amigos e leitores. Após alguns dias de muitas atividades novas, especialmente meu retorno à faculdade, trago para vocês mais uma resenha de livro com comentário de filme. Tentei ser breve, não sei se deu muito certo.
_______________________________

Título original: The Vow
Autor: Kim e Krickitt Carpenter
Tradução: Ivar Panazzolo Júnior
Editora: Novo Conceito
Gênero: Romance/Biografia Cristã
Páginas: 144
Ano: 2012
Adicione no Skoob


Sinopse

A vida que Kim e Krickitt Carpenter conheciam mudou completamente no dia 24 de novembro de 1993, dois meses após o seu casamento, quando a traseira do seu carro foi atingida por uma caminhonete que transitava em alta velocidade. Um ferimento sério na cabeça deixou Krickitt em coma por várias semanas. Quando finalmente despertou, parte da sua memória estava comprometida e ela não conseguia se lembrar de seu marido. Ela não fazia a menor ideia de quem ele era. Essencialmente, a "Krickitt" com quem Kim havia se casado morreu no acidente, e naquele momento ele precisava reconquistar a mulher que amava.

Resenha

"Que eu me torne a garota que era, e também aquela que o Senhor quer que eu seja." (pag. 102)

Kim (Kimmer) e Krickitt (Krisxan) se conheceram no outono de 1992, quando ele telefonou para a loja em que ela trabalhava a fim de comprar uma jaqueta de técnico de beisebol. Cativado pela voz e pelo jeito atencioso de Krickitt, Kim voltou a ligar outras vezes, até que eles terminaram virando amigos. As muitas ligações dos meses que se seguiram logo deram espaço a longas cartas e, claro, à troca de fotografias. Os dois estavam se apaixonando, então resolveram se conhecer pessoalmente. Kim morava em Las Vegas (Novo México - Nevada) e Krickitt, que morava na Califórnia, foi visitá-lo. Como o amor entre os dois era evidente, e eles eram cristãos, casaram-se poucos meses depois, no dia 18 de setembro de 1993.

"Você disse que eu posso perguntar qualquer coisa a você, então preciso ser honesta, Kimmer. Tenho muita fé, quero dizer, a fé e o cristianismo são importantes para mim. Não me vejo tendo um relacionamento de verdade com uma pessoa que não crê." (pag. 15 e 16)

Após dois meses de casamento, Kim e Krickitt resolveram viajar até Phoenix (Arizona) no Dia de Ação de Graças - última quinta-feira de novembro -, para fazer a primeira visita depois de casados aos pais de Krickitt. Por volta das 18h30 do dia 24 de novembro de 1993, próximo à divisa do Novo México com o Arizona, eles sofreram um grave acidente que quase ceifou suas vidas. Krickitt ficou presa nas ferragens do carro e, segundo os médicos, sua chance de sobrevivência era menor que 1%. 

"- Fizemos tudo que era possível, mas a condição da sua esposa não melhorou. Ela está além da possibilidade de auxílio médico - explicou ela (enfermeira). "Talvez ela esteja além da possibilidade de auxílio médico", pensei. "Mas eu ainda posso pedir a Deus"." (pag. 39)

Muitas pessoas se mobilizaram a orar por Krickitt e, milagrosamente, ela começou a se recuperar. Porém, após recobrar a consciência, percebeu-se que ela estava com amnésia retrógrada e que cerca de um ano e meio de lembranças havia sido apagado de sua memória, restando apenas flashes vagos. Krickitt não sabia quem Kim era, muito menos que era casada.

A história é contada por Kim, numa narração muito simples e fácil de compreender. Pelo fato de Kim e Krickitt não serem escritores, as informações são passadas rapidamente, de modo que sentimos falta de alguns detalhes importantes, como as reações e falas de Krickitt diante das descobertas sobre sua antiga vida. Mas Kim, em contrapartida, nos dá muitos detalhes acerca do acidente e das etapas vividas no hospital. A diagramação do livro é simples, com alguns detalhes nas entradas e saídas de capítulos. A capa é muito bonita, a foto dos atores que protagonizaram o filme, e o título está em alto relevo. Encontrei apenas três errinhos de revisão, o que poucos leitores notariam.


Quem decide assistir ao filme, imaginando visualizar a história de Kim e Krickitt, termina encontrando algo totalmente diferente. No filme, o casal é outro e a história também. A personagem é escultora, em vez de ginasta, e se chama Paige (Rachel McAdams), o marido dela é produtor musical, em lugar de técnico de beisebol, e se chama Leo (Tatum Channing). Os dois se apaixonam de maneira arrebatadora, casam-se no Museu de Artes e sofrem o acidente enquanto estão tramando fazer bobagens dentro do carro. 


"- O cristianismo de Krickitt está no centro dela, Kim. É uma parte da alma dela. A alma não pode ser afetada por qualquer ferimento, porque é imortal. Sua fé sempre vai estar viva. Está viva agora."


O que mais senti falta no filme foi da fé de Krickitt. Acho que isso realmente moveu a cura dela e a restauração do relacionamento - isso não é spoiler, já que todo mundo conhece o contexto geral da história desse casal. Fora isso, o roteiro inspirado na vida de Kim e Krickitt Carpenter realmente me emocionou. Consegui visualizar as emoções e conflitos de Krickitt e até deu pra sentir uma raivinha dela. 

O livro Para Sempre me fez chorar algumas vezes. Com ele, aprendi que o amor é capaz de vencer barreiras naturais aparentemente intransponíveis e fui altamente incentivada a valorizar ainda mais a minha fé - em meu entendimento, foi a fé que manteve a força de vontade e a perseverança de Kim e, em especial, Krickitt. Recomendo o filme inspirado e o livro a todos.


Classificação:

Livro e filme


16 comentários:

  1. Júh Britto ♥ disse...:

    Bom dia
    Esse filme é muito bonito adoro os atores

    bjo

    http://framboesabrazil.blogspot.com/

  1. José Agenor disse...:

    Sua resenha mais uma vez me traz o desejo de ler o livro e ver o filme. na verdade o amor tem que ser a cada dia regado como uma planta e também reconquistado.

    Bjus

    http://blogagenor.blogspot.com.br/

  1. Alice Aguiar disse...:

    eu particularmente adoro o livro, mas nao vi o filme
    adorei a resenha isie

  1. Dany disse...:

    Eu vi apenas o filme e gostei bastante. Não sei se leria o livro, vi resenhas não tão boas sobre ele.
    Beijos...

  1. Juliana Guedes disse...:

    Esse filme é lindo mesmo, já assisti varias vezes.
    Eu não li o livro ainda,mas pretendo
    beijos

  1. Angela Graziela disse...:

    Já tive a oportunidade de ler esse livro e ele é lindo
    Mas quero mesmo é assiti o filme

    Beijos
    @pocketlibro
    http://pocketlibro.blogspot.com.br

  1. Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom,
    li algumas coisas folhe-ei algumas postagens,
    gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha.
    Deixo-lhe a minha bênção.
    E que haja muita felicidade e saúde em sua vida e em toda a sua casa.
    PS. Se desejar seguir o meu blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

  1. Não assisti nem ao filme e nem li o livro. Uma pena né? Mas, tenho uma grande vontade de poder apreciar os dois.

    David - Leitor Compulsivo

  1. Bia Rodrigues disse...:

    Hey Isie.
    Ainda não li e nem vi esse filme. Já fiquei um pouco decepcionada com o enredo do filme, mudaram coisas importantes demais ><

    Beijos
    Pepper Lipstick

  1. Eu vi o filme, mas não li o livro. Não sabia que eram tão diferentes assim, pensei que a história estava bem parecida. kkkk
    Acho que eu gosto mais da história do filme, mas tenho que ler o livro pra poder dizer certinho.
    Eu adoro os atores do filme, por isso devo ter gostando mais ainda. kkkk

    Beijão :)

  1. Paloma Viricio disse...:

    Já li esse livro e gostei bastante...muito emocionante e me fez chorar em algumas partes também. O filme ainda não vi, mas sei que tem bastante coisa diferente porque só foi inspirado. Sei lá...quero ver um dia.
    Beijos!
    Paloma Viricio- Jornalismo na Alma.

  1. Raquel Machado disse...:

    Oi flor,
    Ja vi o filme e assiste o livro e acho super lindo a fe que nele e demonstrado mesmo.
    Bjsss
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com/

  1. TB disse...:

    Eu não li o livro, mas gostei bastante do filme! Uma pena que tenham mudado alguns detalhes, mas pelo menos eles não interferiram demais na história
    Beijo,
    Nic

  1. Niki disse...:

    Oi, Isie.
    Sinda não havia lido nenhuma resenha a respeito desse livro e confesso que ele nunca tinha me chamado a atenção, talvez porque não sou muito fã de relatos de vivência. Ainda assim, a história parece interessante. Talvez eu assista o filme ou leia o livro, se surgir a oportunidade.
    Beijos,
    Niki - http://www.meigaemalefica.blogspot.com

  1. Paola Severo disse...:

    Oie,
    Eu li o livro mais ainda não criei vontade para assistir ao filme, principalmente por causa das diferenças, que sei que são muitas. Meio que desanima a gente!

  1. Elder Ferreira disse...:

    É meio estilo Nicholas Sparks, não é? Eu achei que o filme caiu no clichê, MAS é meio difícil não cair no clichê quando se trata de amor. Não sabia que tinha o livro, acabei assistindo esse filme no cinema por falta de melhores opções e até que valeu a pena.

    PS: Só eu que penso em Magic Mike quando vejo o Tatum Channing? hehe

Postar um comentário

A sua participação é muito importante. Comente!