[Conto] O rascunho de um sonho

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Olá, pessoas! Como vão todos? Espero que ótimos, como também estou. Bom, estive pensando numas novidades para o blog. Se tudo der certo, contarei para vocês na minha próxima postagem. Enquanto isso, ficaremos com mais um conto. Primeiro, quero dizer que essa história é meio estranha, entendam, partiu de um sonho, e sonhos nem sempre fazem sentido, né? Faz cerca de um ano que isso me ocorreu. Acordei e tentei escrever a história, mas, sabe quando uma coisa fica travada? Então, simplesmente, travei. Mas como há tempo para tudo, minutos atrás, pensando em algo para postar, comecei a remexer em meus arquivos e... sabem o que eu encontrei? O rascunho de um sonho! Certo, estou alongado demais. Por isso, sem maiores berebedês e barabadás...

___________________________________________

o rAsCuNhO dE uM sOnHo



Eram por volta das 14h quando Maria Clara atravessou a rua e sentiu que o nervosismo a dominava. Chegou ofegante, como era provável, à portaria da rádio FM Só Sucesso, disse o nome completo e respirou fundo... Depois de tanto tempo sonhando, finalmente teria o primeiro contato com o grande amor da sua vida. Friozinho na barriga e autocontrole para não arrancar o esmalte vermelho escarlate das unhas com os dentes caninos. Por sorte, menos de dois minutos depois, uma moça simpática, quase sorridente, aparecia para conduzi-la à sala de espera.

Lá estavam outras cinco garotas histéricas, as demais vencedoras da promoção “Chá da tarde com seu ídolo”. A presença das excêntricas tietes, suas prováveis rivais, e a ansiedade angustiante pelo encontro deixaram Maria Clara com o nervosismo ainda mais aflorado. Tanto que, após intermináveis vinte minutos de uma torturante espera, as mãos dela, além de ansiosas por mergulharem em sua boca, estavam trêmulas e gélidas.

As outras moças, embora também parecessem aflitas, em pouco tempo, como que relaxadas, começaram a tirar fotografias e tagarelar. Logo Maria Clara estaria completamente envolvida nesse clima de frenesi.

Passou-se a primeira hora de estranhas confidências com garotas completamente desconhecidas, então ela embarcou numa incontrolável sensação de euforia. Acaso o carro preto de vidros fumê não trazia o grande amor de sua vida? Gritarias para cá, lágrimas para lá e uma terrível decepção. Não, não era ele, e elas não podiam gritar ali daquele jeito. Ah por favor! Era o grande amor de suas vidas, como não gritariam? Sim, poderiam até mesmo escabelar-se, mas apenas quando fossem conduzidas à sala reservada. Tudo bem, tudo bem... Água mineral gelada e profundos suspirar, os ânimos se abrandaram, e lá se foram mais três horas da agora massacrante espera... Maria Clara estava tensa e pálida de tanta aflição. Acaso seu grande ídolo não viria? Corria o boato que não. Se aquilo era verdade, nenhuma delas sabia, mas enfim, por volta das 19h, cerca de seis horas após a chegada da primeira tiete, finalmente alguém lhes deu um sincero parecer. Devido a um grande atraso no voo, o cantor teria sido obrigado a cancelar o encontro com as fãs.

Ouvindo a notícia, todas, muito nervosas, começaram a se lamentar e a reclamar, deixando a funcionária portadora da notícia totalmente sem saber o que dizer. Minutos depois, quase sendo incentivadas ao caminho da saída, como um verdadeiro cala boca, cada uma delas recebeu um pôster artificialmente autografado, um CD e - pelo menos isso! - um convite para assistir ao show no camarote da rádio.

Algumas garotas choraram, outras se indignaram, Maria Clara apenas ficou decepcionada. Embora aquele prêmio de consolação fosse o sonho de muitas fãs, para ela não passava de uma vergonha. Mais de cinco horas esperado naquela sala fria, e quanta consideração da parte dele... Já não sabia se ainda queria vê-lo, mesmo que de longe, ou se valeria a pena ir ao show. De qualquer forma, teria que voltar para casa com aquela frustração e contar a todos que seu ídolo não passava de um grande mal-educado. Respirou fundo, enquanto as outras já cruzavam a porta da sala de espera rumo à saída. Talvez fosse melhor se ela nunca tivesse ganhado aquela porcaria de promoção.


____________________________________
Continua... Talvez... Se vocês quiserem...


Se gostou, além de comentar, clique no link da postagem e, em seguida, dê um retweet! \º/

4 comentários:

  1. Rafaela Barbosa disse...:

    Poxa, Dai!

    Agora fiquei curiosa pra saber o que aconteceu em seguida, e quem é o ídolo de Maria Clara! Rs. Posta o restante...

    Beijo! =)

  1. Isie Fernandes disse...:

    Oi, Rafa!

    Agora terei que recordar o sonho, ou então, inventar um final. Na verdade, eu me lembro mais ou menos, é que esse mesmo sonho terminou inspirando a criação de um romance (Quimera Bipolar, de Gisela Santanna) - contei o sonho e ela se inspirou pra valer. Mas não sei se essa história da Maria Clara, que é a original, dará em muita coisa. Bom, veremos o que posso fazer. ;)

    Obrigada pela visita! =)

  1. Karina Santos disse...:

    Isie, adorei. Continua por favor...fiquei curiosa, posta mais vai...rsrs

  1. Isie Fernandes disse...:

    Oi, Karina, obrigada por participar do blog! ;)

    Tá bom, vou ver o que faço então. =)

Postar um comentário

A sua participação é muito importante. Comente!