O Andante

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Como são as coisas, não? Eu estava remexendo num dos meus cadernos e encontrei um texto. Achei legal, mas não faço ideia de quando o escrevi, penso que foi há um ou dois meses. Bom, eu gostei, então, deixo aqui para quem quiser lê-lo.

________________________________


O Andante



Um dia, um jovem cheio de vida sentiu-se confuso. Seu futuro era promissor, mas ele sabia que enfrentava o momento mais importante da sua vida: o da decisão.

Como não tinha certeza do que fazer, começou a andar. Não pensou num caminho, não traçou um projeto, nem ao menos pegou um mapa; apenas caminhou. 

No primeiro dia, andou tanto que nem viu o tempo passar. Estava empolgado em fugir e continuou daquele jeito, sem rumo, sem o contar das horas, sem levar provisões. Foi andando e se afastando dos carros, das casas, das pessoas...

Um tempo depois, finalmente o jovem se cansou. Ele parou no meio da estrada e, só então, percebeu quão longe fora. A tarde havia findado, a noite caído; o dia amanhecia. Viu à frente dois caminhos, uma bifurcação.

Por que a vida provocava aquele tipo de coisa? Haveria sempre algo a decidir? Um rumo a escolher? Como da primeira vez, ele não hesitou, virou-se de costas e descobriu o pior: não sabia onde estava e nem como retornar.




6 comentários:

  1. Kate disse...:

    Gostei do texto!!! Muitas vezes eu tb me sinto assim perdida... e olho pra trás sem ter como voltar...

    http://conversandocomdragoes.blogspot.com/

  1. Carlos Jordaky disse...:

    Olá Isie, tudo bem? Muito bom o blog... parabens! Achei seu link em um forum! quando poder de uma olhada no meu.. rs.. um diferente, mas quem sabe pode ser interessante para vc! wwww.jordaky.blogspot.com ...

  1. Carlos Jordaky disse...:

    Obrigado pelo coments Isie! Vamos nos falamos! Me manda um oi pelo email! :) aqui nao tenho acesso ao meu pessoa! jordaky@gmail.com

    bjo! Aguardo novos posts!

  1. Larissa SM? disse...:

    Que texto interessante. E o pior é que eu fiquei sem saber qual caminho ele escolheria. Será que ele escolheu ou voltou? Mas uma coisa é fato: a indecisão quase sempre está presente em nossas vidas.
    Obs: de quem é o texto?
    Beijos, Larissa Moura
    http://letrasdoinfinito.blogspot.com

  1. RafaelaBarbosa disse...:

    Gostei muito desse texto, Dai. Tão leve e objetivo. Muitas vezes eu me sinto assim, querendo fugir das decisões. Mas quanto mais a gente foge, mais perdidos parecemos ficar, sem um foco. Tomar decisões é extremamente importante, por mais que venha algum tipo de arrependimento depois, pois, se ficarmos caminhando sem rumo, podemos nos perder e nunca mais nos encontrar.

  1. Isie Fernandes disse...:

    Gente, desculpa a moleza... Eeeeeeita!

    Larissa,

    seja muito bem-vinda ao blog! Logo, logo te farei uma visitinha, tá?

    Ah, o texto é de minha autoria. :)

    Beijinhos pra ti também.


    Rafa,

    que bom que gostou. Ele é bem reflexivo, parece até com os seus textos. Não é sempre que escrevo coisas desse tipo, embora ame, apenas quando bate a tão desejada inspiração.

    E eu que vivo sempre nesse dilema... Sempre tenho que escolher por um caminho, mesmo quando desejo trilhar pelos dois. É como tirar recheio de bolo e calda de sandae... =S Mas, vamo lá, né? Uma hora a gente descobre a fórmula e faz uma torta de sorvete. Hahaha!

    Beijos!

    <><<

Postar um comentário

A sua participação é muito importante. Comente!